Redshift temperatura de cores e conforto

Redshift: Ajuste automático da temperatura do monitor

O Redshift é um aplicativo que ajusta a temperatura das cores do monitor em função da iluminação ambiente, de acordo com a hora do dia.
O programa aquece gradativamente as cores do display ao cair da tarde, o que proporciona, pelo menos, 2 benefícios ao usuário, que precisa usar o computador à noite ou em ambiente com iluminação artificial:

  • Maior conforto visual, para quem experimenta uma exposição prolongada durante a noite
  • Reduz a possibilidade de distúrbios do sono, causados exposição à luz branca intensa ou excessiva, do display

O programa funciona tal como o x.flux — foi inclusive inspirado nele, de acordo com o seu desenvolvedor.
Redshift - temperatura de cores quente
Ambos aplicativos surgiram de estudos (citados em seus sites) que comprovam os benefícios dos ajustes da temperatura das cores do monitor, sobretudo para quem trabalha muito à noite.
Programas, como o Redshift ou o x.flux, podem prevenir a redução da produção de melatonina pelo seu organismo — e, por isto, ajudam você a dormir melhor.
Neste post, vou mostrar como instalar o Redshift e como configurar o seu funcionamento.

“Em humanos, a melatonina tem sua principal função em regular o sono; ou seja, em um ambiente escuro e calmo, os níveis de melatonina do organismo aumentam, causando o sono. Por isso é importante eliminar do ambiente quaisquer fontes de som, luz, aroma, ou calor que possam acelerar o metabolismo e impedir o sono, mesmo que não percebamos.”

Como instalar o Redshift

No Ubuntu, o aplicativo pode ser instalado com o apt-get. Veja como:

sudo apt-get update
sudo apt-get install redshift

Se você quiser instalar o front-end gráfico, em GTK que permite controlar o Redshift na bandeja do sistema, acrescente o seguinte comando ao terminal:

sudo apt-get install redshift-gtk

Após algum tempo, o ícone do aplicativo deve aparecer na bandeja do sistema, permitindo que você faça alguns ajustes nele. Se isto não acontecer, execute o redshift-gtk, do terminal — ou do Dash, no Ubuntu.
Se você tiver interesse, pode baixar o código da versão mais atualizada do programa para compilar e instalar no seu sistema — direto do site do desenvolvedor (veja no final do post).

Prefere compilar o código?

Eu também prefiro. Leia este passo a passo para baixar e compilar o Redshift no seu computador.

Alguns ajustes iniciais pro Redshift

redshift temperatura de cores friaTudo o que o Redshift precisa, para ajustar as cores do monitor para atender as condições de luz em cada hora do dia, é a sua localização em latitude e longitude.
Você pode consultar o mapa do site do f.lux: https://justgetflux.com/map.html para obter a sua latitude e longitude exatas.
Em seguida informe sua LATITUDE e LONGITUDE, respectivamente, assim:

redshift -l 32.7:-107.2

As temperaturas padrão do aplicativo são:

  • Temperatura diurna: 5500K
  • Temperatura noturna: 3700K

Se você quiser, pode alterá-las para outros valores. Para usar 6000 para a temperatura diurna e 3600 para a noturna, use o seguinte comando:

redshift -t 6000:3600

Para interromper o aplicativo, use Ctrl + C ou o comando pkill -9 redshift
No Ubuntu, após a instalação, o Redshift será carregado automaticamente.
Se isto não acontecer, inicie-o, de um terminal:

redshift-gtk &

opções do menu do redshift-gtk
Clique para detalhes.
Após ter iniciado a interface gráfica, selecione Início automático, se quiser que o aplicativo seja disparado toda vez que você der login no sistema.
O Redshift também permite, entre outras coisas, alterar o brilho do monitor. Veja como fazer isto, usando o parâmetro -b, para informar o brilho a ser usado durante o dia e durante a noite:

redshift -b 1.0:0.8

No comando acima, o Redshift foi configurado para usar o brilho máximo durante o dia (1.0) e reduzir para 80%, durante a noite (0.8). Você pode usar valores entre 1.0 e 0.1, portanto.

redshift-status-on

LEIA MAIS

Como criar um arquivo de configurações pro Redshift

O Redshift pode usar um arquivo personalizado de configurações. A vantagem deste método (para mim) é poder indicar de uma vez só a maneira como eu gostaria que ele rodasse — e, toda vez que eu quiser alterar alguma coisa, acho mais cômodo abrir o meu arquivo (com meus próprios comentários) e reajustar um ou outro parâmetro.
Se você criar o arquivo .conf/redshift.conf, este será lido automaticamente pelo programa.
Veja como ficou o meu:

; Ajustes gerais
[redshift]
temp-day=4500K
temp-night=3500
; Transição: 1=ativo e 0=inativo
transition=0
gamma=0.8:0.7:0.8 
location-provider=manual
adjustment-method=randr
brightness=0.7:0.4
 
; Se você indicou location-provider=manual, lá em cima, então precisa
; preencher a seção abaixo.
; a localização abaixo se refere a 
; Jericoacoara, CE
[manual]
lat=-2.7956
lon=-40.5142

Referências

Fonte: blog do Jon Lund Steffensen, um dos desenvolvedores.
Dicas de configuração no Wiki do ArchLinux.
Wikipedia: verbete sobre melatonina.

Publicado por

Elias Praciano

Autor de tecnologia (livre, de preferência), apaixonado por programação e astronomia.
Fã de séries, como “Rick and Morty” e “BoJack Horseman”.
Me siga no Twitter e vamos trocar ideias!

9 thoughts on “Redshift: Ajuste automático da temperatura do monitor”

  1. Vá em Sistema > Preferências > Aplicativos de Sessão. Clique em adicionar e na próxima tela, em “nome” coloque: gtk-redshift, e em “comando” coloque:

    gtk-redshift -l -3.9028:-38.6765 -m vidmode

    Essa numeração do comando deve ser trocada para o início das coordenadas geográficas do seu local.

  2. Faz alguns dias que há um ícone retangular, preto de bordas brancas com um símbolo de “proibido” vermelho ao centro, o ícone está no painel superior, ao lado das horas. Pensei que fosse por ter apagado o arquivo que era usado de plano de fundo na área de trabalho, mas já coloquei outro fundo e reiniciei o computador, no entanto o ícone não desapareceu. Aí percebi que o redshift não estava funcionando, tentei ativá-lo pelo terminal e aparece a seguinte mensagem:

    Trying location provider `geoclue’…
    Started Geoclue provider `Geoclue Master’.
    Usando provedor `geoclue’.
    Could not get location (3 retries left): xmlNanoHTTPMethod did not get a response from http://api.hostip.info/
    .
    Não foi possível determinar a localização pelo provedor.

    Agora desconfio que o ícone de erro é relacionado ao programa. Já inclusive removi com apt-get remove, mas o ícone não desapareceu, reinstalei e continua dando a mensagem acima. O processo de compilar foi muito complicado e fiquei perdida. Vc me recomenda algo?

      1. Primeiramente, ótimo tutorial, vai melhorar muito minha qualidade de vida. Muito obrigado por isso!
        Funcionou muito bem, inclusive no monitor secundário.

        Agora a dúvida: o arquivo de configuração deve ficar em que local, na pasta pessoal ou na raiz?
        E afinal a pasta é .conf ou .config?.

        Na dúvida, criei:
        /.conf/redshift.conf (de acordo com o tutorial)
        /.config/redshift.conf (de acordo com sua resposta acima)
        /home/usuário/.conf/redshift.conf (vai que…)
        /home/usuário/.config/redshift.conf (aqui é pq já existe a pasta .config por padrão)

        É minha primeira vez no seu blog e já vi um monte de tutorial útil (esse por ex. rsrsrs).

        Parabéns pelo trabalho!

        Um abraço!

        1. Peraí…
          De acordo com o tutorial e com o comentário, a localização do arquivo é .config/ , a partir da sua pasta home — veja a localização da barra e do ponto.
          Se estiver usando o terminal, no Ubuntu, pode acessa o arquivos com o seguinte comando:

          nano ~/.config/redshift.conf

          O último endereço, que você mencionou, também está correto:

          nano /home/$usuário/.config/redshift.conf
  3. Prezado Elias.

    Parabéns por sua iniciativa e amor ao próximo, no sentido de compartilhar seu conhecimento.

    Peguei sua dica sobre reconfigurar o percentual de uso da swap e copiei seu arquivo de configuração, em outro artigo seu. Senti sim melhora no desempenho e bem significativa.

    Muito obrigado.

    Vou acompanhar seu blog.

    Abração.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *