cpufreq - controle da velocidade da cpu

Como controlar a temperatura e a frequencia do processador no Ubuntu

Com o cpufreq, você regula a frequência do clock da CPU, controla o consumo da bateria e a temperatura do processador. Tudo isto, em um só aplicativo.
O programa não propõe nenhuma mágica — para atingir um objetivo, você vai ter que sacrificar outros, como irei mostrar no decorrer do texto.

Instale o cpufreq

Abra um terminal (Ctrl + Alt + T) e rode o seguinte comando:

sudo apt-get install cpufrequtils indicator-cpufreq

controlar a frequencia da CPU - ubuntuCom o comando acima, estamos instalando o utilitário cpufreq, o cpufreqd (é um daemon) e os indicadores, que vão ficar na barra superior da sua interface gráfica, de onde você poderá clicar e selecionar o modo de operação do processador.
Normalmente, após a instalação, não é necessário fazer nada. Contudo, se o novo indicador não aparecer, você pode carregá-lo manualmente, com o seguinte comando:

indicator-cpufreq &

Como reduzir a temperatura do processador

Em princípio, quanto mais alta a frequência, mais calor será produzido pela CPU. Portanto, para reduzir a quantidade de calor, basta reduzir a frequência da sua CPU. Se você usar o governor “moderado” ou “economia de energia”, também vai atingir este objetivo.

Como reduzir o consumo da bateria no notebook

Clique no ícone do indicator-cpufreq, na barra de status. O modo de economia de energia é o indicado para atingir este objetivo.
Se preferir, você pode apenas reduzir a frequência do clock da CPU — ao reduzir a frequência, o consumo de energia cai junto.
Se, por outro lado, você usar o maior clock disponível ou optar pelo governor de “desempenho”, prepare-se para ver a bateria ser drenada pelo processador — o que pode não ser um problema se você estiver com o notebook ou o desktop ligados à tomada.

Use os governors

Os governors são aquelas 4 últimas opções do menu do indicador:

  • Moderado — é um modo de uso conservador do processador. Ele ajusta gradualmente a frequência, de acordo com as necessidades do sistema. Ele tem a tendência a manter o processador em velocidades baixas e a subir devagar. Eu o indico para quem deseja economizar energia.
  • Sob demanda — tal como o anterior, ajusta a frequência do processador de acordo com as necessidades do sistema, só que ele é menos suave e demora menos nas escalas — e vai um pouco mais rápido aos valores mais altos.
  • Economia de energia — mantém a frequência da CPU nos valores mais baixos possível. Alguns administradores advertem (eu concordo) que, ao forçar o sistema a fazer o máximo dentro dos limites mais restritivos da CPU, você vai acabar aumentando o consumo de energia.
    Portanto, deve ser usado apenas quando você tiver certeza de que não haverá picos de demanda.
    Contudo, é a melhor opção para quem deseja manter a temperatura do processador baixa.
  • Desempenho — Responde agressivamente a qualquer demanda, elevando o clock do processador ao seu nível máximo. Ele é péssimo para quem está com problemas de superaquecimento ou dependendo exclusivamente da bateria.

LEIA MAIS!

Isto posto, use preferencialmente os governors, quando quiser deixar o próprio sistema determinar a frequência de clock mais adequada para realizar suas tarefas — isto é mais eficiente que determinar um clock de trabalho fixo pra sua CPU.

Publicado por

Elias Praciano

Autor de tecnologia (livre, de preferência), apaixonado por programação e astronomia. Fã de séries, como "Rick and Morty" e "BoJack Horseman". Me siga no Twitter e vamos trocar ideias!

5 comentários sobre “Como controlar a temperatura e a frequencia do processador no Ubuntu”

  1. Não entendo muito, e me veio a pergunta se essas alterações que o programa faz no funcionamento do hardware não diminuiria a vida dele, sabe.. se isso não seria meio forçá-lo de um jeito que ele não foi preparado para isso…

    Isso ocorre, ou não faz sentido?

    Obrigado!

    1. Boa pergunta!
      O que frequentemente causa desgaste e redução na vida útil do equipamento, como um todo, é o overclocking — que consiste em elevar a frequência do processador a níveis superiores ao que ele foi projetado para operar.
      O overclocking traz outra consequência indesejável: o sobreaquecimento, que reduz sua vida útil e a de todo o sistema (principalmente a bateria).
      Este procedimento precisa vir acompanhado de uma estratégia mais agressiva de controle da temperatura do sistema.
      Reduzir o clock do processador tem o efeito contrário: reduz seu desgaste e a sua temperatura.
      O procedimento de que falei no artigo, por fim, não é overclocking, uma vez que ele não permite usar frequências diferentes das que o processador foi projetado para usar.

  2. Olá eu não consigo abrir o programa, sempre aparece o seguinte erro:

    root@cwb:/home/boot# indicator-cpufreq &
    [1] 9284
    root@cwb:/home/boot# Traceback (most recent call last):
    File “/usr/bin/indicator-cpufreq”, line 79, in
    ind = MyIndicator(options.show_frequency)
    File “/usr/lib/python3/dist-packages/indicator_cpufreq/indicator.py”, line 99, in __init__
    self.update_ui()
    File “/usr/lib/python3/dist-packages/indicator_cpufreq/indicator.py”, line 110, in update_ui
    fmin, fmax, governor = cpufreq.get_policy(self.cpus[0])
    File “/usr/lib/python3/dist-packages/indicator_cpufreq/cpufreq.py”, line 143, in get_policy
    policy = (p.contents.min, p.contents.max, p.contents.governor.decode())
    ValueError: NULL pointer access

    1. Não é por que não é overclock que significa que se deixar no máximo para sempre não desgastara mais. É claro que vai desgastar.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *