Plug ins para lidar com imagens RAW no GIMP

O GIMP tem suporte padrão a imagens RAW, mas sabemos que este tipo de arquivo pode variar suas especificações em função da marca e modelo da câmera. Alguns fabricantes se recusam a compartilhar informações sobre a forma como gravam seus arquivo em formato bruto, o que dificulta criar condições de leitura para os softwares mais atuais.
Usuários Windows, podem encontrar plug ins ou extensões disponíveis no site do registry.

Quem usa Linux, encontra tudo nos repositórios oficiais da sua distro.
Neste post, vou me referir especificamente a 2 destes plug ins: gimp-ufraw e gimp-dcraw.

O gimp-dcraw

Desenvolvido por David Coffin, o plug in permite carregar fotos digitais RAW (imagens brutas ou “cruas”) da sua câmera, para serem manipuladas dentro do GIMP.
É o mesmo autor do dcraw e gphoto2.
O plug in (bem como o utilitário dcraw) suporta imagens brutas das câmeras das marcas Canon, Kodak, Olympus, Nikon, Fuji, Minolta e Sigma.
Visite o site http://www.cybercom.net/~dcoffin/dcraw/index_pt.html (em portuguẽs) para obter mais informações sobre o software.
O site http://www.cybercom.net/~dcoffin/dcraw/index.html#cameras tem uma lista de câmeras suportadas pelo dcraw.
Se a sua não estiver listada, o autor recomenda tentar acessar as fotos brutas mesmo assim.
A minha não está listada (Fuji Finepix SL 1000) e funcionou sem problemas pra mim.

O gimp-ufraw

Baseado no plug in anterior, é uma ferramenta de “importação de dados não processados (em inglês, “raw”) de câmeras digitais de ponta”.
O nome quer dizer “Unidentified Flying Raw” (UFRaw), ou seja “RAW Voador Não-identificado” (bem humorado, não é?). 😉
Sua função é converter e permitir ao GIMP manipular imagens brutas de câmeras digitais.
Também pode ser usado como aplicativo independente, em vez de extensão do GiMP.
Veja abaixo, como fazer a instalação independente do aplicativo.
O UFRaw “lê a maioria dos formatos não processados existentes usando o utilitário de conversão de dados não processados DCRaw de Dave Coffin e dá suporte ao gerenciamento de cores básicas usando Little CMS, permitindo ao usuário aplicar perfis de cores”.
Se você é usuário Windows, pode fazer o download neste site: http://ufraw.sourceforge.net/Install.html.

Instalação para Linux

O pessoal do Linux, pode baixar os plug ins e/ou aplicativos dos repositórios oficiais de suas distribuições.
No Debian e no Ubuntu, use o apt, para fazer a instalação:


sudo apt install gimp-dcraw gimp-ufraw

Se preferir (opcionalmente) usar os softwares fora do gimp, como aplicativos separados, instale os seguintes pacotes:


sudo apt install dcraw ufraw

Com trabalhar com múltiplas abas com o editor Vim

Como muitos outros editores, o Vim aceita organizar seu conteúdo em abas.
Na nomenclatura dos comandos e no sistema de ajuda do Vim, o recurso de abas é chamado de tabs.

Com o tabbed editing (edição em abas), é possível iniciar conteúdo novo em uma nova aba ou passar o conteúdo existente, em alguma janela, para outra aba.
Cada aba se comporta de maneira independente, dentro da sua sessão do Vim.
Você pode dividir a tela e criar outras janelas dentro de cada aba.

Para iniciar uma nova aba, use o comando ‘tabnew’, seguido do nome do arquivo que será aberto dentro dela:


:tabnew arquivo.txt

Se o arquivo especificado não existir, um novo será criado, com este nome.
Se você usar apenas o comando ‘tabnew’, sem fornecer um nome de arquivo a ser aberto, um arquivo, em branco e sem nome, será criado dentro da nova aba.

Para sair da aba criada, basta fechar o arquivo (ou os arquivos) dentro dela, com “:q”.
Uma outra forma de fechar a aba ativa é com ‘tabclose’:


:tabclose arquivo.txt

Ou, para fechar todas as outras abas:


:tabonly

Arquivos, ainda não gravados, podem impedir que suas abas sejam fechadas.

Para alternar entre as abas, use as teclas Ctrl + PageDown ou Ctrl + PageUp.

Como calibrar a CPU no Linux

O utilitário Power-calibrate, disponível nos repositórios da maioria das distribuições GNU/Linux, pode ser usado para calibrar o consumo de energia de um dispositivo móvel — como o seu laptop.
Tudo o que o seu equipamento precisa é usar uma fonte de energia de bateria e um processador Intel recente.

Seu processador deve ter também suporte a RAPL (Running Average Power Limit) — sigla para “Limite de Potência Média em Execução”, em uma tradução livre.
Trata-se de um recurso de medição de performance desenvolvido pela Intel, para uso em seus processadores.

O power-calibrate vai tentar calcular o consumo energético relativo a 1% do uso do processador.
Se o perf (recursos de análise de performance do Linux) estiver disponível, o utilitário irá tentar estimar o consumo de 1 ciclo e 1 instrução da CPU.

Como funciona o power-calibrate

A ferramenta oferece estimativas de consumo e seus resultados variam entre as execuções.
Não é concebida para substituir outras ferramentas de medição de alta precisão.

O power-calibrate confia na interface da bateria do seu sistema, para levantar estatísticas de consumo de energia — que irão variar de uma máquina para outra.
O software ou o firmware do seu sistema pode ajustar as leituras da bateria a partir de seus próprios medidores e podem, ainda, reajustar seus próprios valores, durante a drenagem da bateria.
Outra característica comum às baterias de Li-Ion é a descarga não-linear — de forma que rodar o programa em um sistema com baixa carga da bateria não é recomendado.

Processadores com hyperthreading ou com performance de processamento não-uniforme poderão distorcer os cálculos de bogo-ops — uma vez que CPUs lógicas diferentes irão variar suas taxas de processamento.

Para obter um resultado médio mais preciso, procure realizar diversos testes.
Quanto mais amostras obtidas, melhor será a qualidade da média final.
Claro, que a calibração levará mais tempo para ser concluída.

Veja, a seguir algumas opções de uso do utilitário.

Possíveis erros ao executar o power-calibrate

A ferramenta precisa ter acesso a áreas restritas do kernel do sistema e, portanto, precisa ser executada com poderes de super usuário.
Use o sudo, para rodar o programa.
Além disto, desconecte o laptop da tomada, para que as medições sejam realizadas.
Caso contrário, o programa irá retornar a seguinte mensagem de erro:

sudo power-calibrate 

Machine is not discharging, cannot measure power usage.

Exemplos de uso do power-calibrate

Como método de execução básico, use a opção -R para ler (read) estatísticas de consumo do RAPL.
Esta opção se limita a medir a utilização por processador, de forma que a leitura não cobre toda máquina.


sudo power-calibrate -R

CPU load  User   Sys  Idle  Run  Ctxt/s  IRQ/s  Ops/s Cycl/s Inst/s Watts
    0% x 1   5.8   1.7  92.1  1.3  2346.6  420.1   0.0    1.3K   1.3M  4.215
    0% x 2   5.4   1.4  93.0  1.2  1978.6  353.9   0.0    3.6K 498.1   4.111
^C    0% x 3   4.4   1.4  94.1  2.4  1645.4  344.4   0.0    7.5K   2.4K  3.715

A leitura pode ser interrompida a qualquer momento com Ctrl + C.

Para determinar a duração de cada teste, use a opção -r.
O exemplo, abaixo, usa o tempo de 10 segundos:


sudo power-calibrate -r 10 -R

Se você não determinar um tempo específico, o programa usará o padrão de 120 segunos (2 minutos) para cada teste.
O menor valor de tempo aceito é 10 segundos.
O valor padrão é o ideal.

Acrescente -p para obter uma visualização da evolução do teste:


sudo power-calibrate -Rp

power-calibrate

A página do manual (man power-calibrate) tem uma relação de opções de uso do programa e alguns exemplos.

Para obter uma medida em Watts, por 1% de CPU, com 60 segundos de atraso para aquecimento a cada rodada de testes, com 5 testes no nível de carga da CPU (0%, 25%, 50%, 75%, 100%) nas unidades 0 e 1 com 200 segundos de tempo de execução por rodada de testes:


sudo power-calibrate -d 60 -s 5 -n 0,1 -r 200 -p

Livrarias online nos Estados Unidos

Se você lê bem em Inglês ou gostaria de melhorar a sua leitura neste idioma, adquirir livros pode ser uma boa pedida.
Neste texto, trago o resultado da minha modesta pesquisa de sites de livrarias norte-americanas, que têm sites de venda online.

O assunto não se esgota com este post, por que a quantidade é enorme.
Claro que a maioria das pequenas e médias livrarias luta para sobreviver na concorrência com as gigantes Amazon, Barnes and Noble etc.
Muitas delas, se unem e formam um único site de vendas online, como estratégia para se manter no mercado.
Vale a pena conhecê-las e passar algum tempo em seus sites — onde é possível encontrar muitos tesouros ávidos pela sua descoberta.

Não deixe de ler meu post sobre as livrarias britânicas online.

Não estabeleci muitas regras para que a loja pudesse figurar na lista. Mas disponibilizar entrega para o Brasil é uma regra óbvia.
Você mesmo(a) pode checar esta possibilidade procurando por international delivery ou shipping, no site de qualquer uma delas.
Em geral, estas informações se encontram em páginas ou FAQs acessáveis por links no rodapé da página principal.

Se cometi algum engano, por favor, use a seção de comentários para avisar (a mim e aos outros leitores).
Aproveite também, se quiser, para sugerir outros sites, nos Estados Unidos, de onde podemos importar livros com a segurança de que vamos receber. 😉

Barnes and Noble

Esta é provavelmente a livraria que compete mais fortemente com a gigante Amazon, dentro e fora dos Estados Unidos.
A loja tem a vantagem de aceitar vários cartões de crédito e o PayPal.
Barnes and Nobles site

Como um grande conglomerado, tem seus próprios formatos de ebooks (nook) e uma linha de leitores digitais para lê-los.
É claro que você pode usar um aplicativo Android ou IOS, para ler qualquer formato no tablet ou no celular — caso não consiga ou não queira adquirir um leitor específico.
Há também aplicativos para PC, que leem o formato nook.

DeseretBooks.com

Imagem do site Deseret books

A empresa pertence a uma denominação religiosa e, portanto, espere encontrar vários artigos nesta “direção”.
As publicações oferecidas seguem a visão religiosa dos líderes da igreja.
No meio disto tudo, é possível encontrar ofertas de autores clássicos da língua inglesa.
Se isto é importante pra você… A loja não aceita PayPal, até o momento.

Link: https://deseretbook.com/.

AbeBooks.com

Imagem do site Abe books

Tal como outros sites, é formado por várias pequenas lojas que vendem seus artigos no Abe Books. Algumas destas lojas aceitam PayPal.
A rede tem subsidiárias, no Reino Unido, na Itália, na Alemanha etc.

Link: https://www.abebooks.com/.

HudsonBooksellers.com

Imagem do site Hudson books

Nos Estados Unidos, o Hudson Group trabalha com uma rede de livrarias e restaurantes (fast food).
Suas lojas podem ser encontradas, principalmente em aeroportos e estações de trem.
Desde 2008, a rede pertence à companhia suíça Dufry.

Link: https://www.hudsonbooksellers.com/

Powells.com

Imagem do site Powells bookstore

A rede de livrarias Powell’s Books é sediada em Portland, Oregon.
Seu inventário chega a 4 milhões de livros usados, novos e raros.
O site entrega para o Brasil e aceita pagamento com PayPal.

Link: https://www.powells.com/.

BetterWorldBooks.com

Imagem do site BetterWorld Books

A livraria BetterWorld tem entrega (inclusive gratuita) para o Brasil.
Na verdade, só tem esta modalidade de entrega internacional, que não tem possibilidade de rastreamento (tracking).
Como “as coisas” não andam muito confiáveis, do lado de cá, ultimamente, não arriscaria fazer compras de grande volume.
Tem suporte a vários métodos de pagamento, incluindo o PayPal.
Fiquei bem impressionado sobre a documentação do site — as informações que eu precisava foram fáceis de encontrar.

Link: https://www.betterworldbooks.com/.

Quais são as suas sugestões?!

Use o navegador de plugins para descobrir toda a potência do GIMP.

Além da excelente ajuda online ou do manual embarcado na instalação padrão do GIMP, é possível encontrar plugins, extensões e scripts através de um navegador embutido no programa.
Em vez e procurar pelo “labirinto” de menus e painéis de controle do aplicativo, faça uma busca informando a função desejada.
Por exemplo: “lomo” ou “technicolor”.

O navegador pode ser acessado pelo menu Ajuda/Navegador de plug-ins.
No canto superior direito do painel, é possível fornecer palavras-chave que irão ajudar a encontrar o que procura.
navegador plug ins gimp

À esquerda, no painel, você irá encontrar a localização do item, ou seja, em que menu, ele se encontra.
Depois que instalamos uma coletânea de plugins, como a gimp-plugin-registry, são adicionados mais de 40 novas extensões ao programa.
Algumas se desdobram em vários outros add ons — o que acaba tornando difícil memorizar exatamente aonde se encontra cada efeito ou filtro desejado.

O Navegador de procedimentos

O navegador de procedimentos ajuda a obter informações sobre os parâmetros adotados por filtros, scripts e plug ins no GIMP.
gimp navegador
Pode ser usado como ferramenta adicional para obter informações sobre cada plug in, embora seja inútil para descobrir em que menu se encontra cada um deles.